Criatividade em meio ao distanciamento social

Sabemos que o momento atual é o mais difícil econômico e socialmente para todos, e especialmente no segmento do transporte público, que viu suas atividades serem drasticamente reduzidas e o volume de passageiros despencar nestes três para quatro meses. Há empresas que não terão condições de se manter, ou que até retornarão suas atividades, mas os recursos serão bem mais escassos, uma vez que rotinas com grande fluxo de passageiros – deslocamentos para escolas e universidades – serão as que mais demorarão a voltar ao “novo” normal.

A Mobilibus também se adaptou a este novo tempo. Com a equipe toda trabalhando remotamente, o período surpreende pela quantidade de demandas e soluções que surgem no horizonte, seja por conta própria ou por meio de parcerias. E nesse período aproveitamos para rever dois dos nossos produtos de maior aceitação – os aplicativos voltados aos segmentos do transporte público e do fretamento.

Desde 2019, nossos aplicativos passaram a ser desenvolvidos em Flutter, ambiente de programação utilizado por empresas como iFood e Nubank, que nos permitiu maior agilidade e flexibilidade na criação de novos recursos, bem como trabalhar de modo padronizado nos dois ambientes mais difundidos em smartphones – Android e iOS. Com criação da We Rocket Studio, buscamos uma identidade visual renovada, mais moderna, como a mobilidade urbana precisa ser.

Durante esse período de distanciamento social, lançamos a segunda versão de nosso aplicativo voltado para o segmento de fretamento – até então o aplicativo tinha um conceito semelhante ao desenvolvido para o transporte urbano. Agora, ele possui características próprias, dando mais agilidade para entregar a informação que o usuário precisa

De imediato, o usuário já recebe a previsão de chegada no ponto mais próximo de onde se encontra – ou do ponto em que a empresa determina que ele deva embarcar. Um clique e no mapa é exibida a localização atualizada, e a que distância este veículo se encontra do local de embarque. A Central do Cliente permite que diversos serviços sejam agregados ao aplicativo – pode ser o cardápio do restaurante, pode ser a relação de rotas disponíveis, ou informações para todos os usuários do app.

Também trabalhamos no desenvolvimento da terceira atualização de nosso aplicativo voltado ao transporte público, que está sendo entregue gradualmente a todos os nossos clientes. Nesta atualização, um recurso inédito no segmento de aplicativos de mobilidade urbana é o “bubble“, em que o usuário pode destacar a informação de quanto tempo falta para que o ônibus chegue ao ponto, e pode navegar pelo seu telefone em outras funções. Faltando dois minutos para o veículo chegar, uma vibração chama a atenção para que o usuário esteja pronto para embarcar.

Além de estar presente nos novos aplicativos da Mobilibus, o novo recurso – criado pelo nosso desenvolvedor Adrian Kohls – também está disponível para toda a comunidade Flutter em repositório público: assim, inovações que apresentamos em primeira mão na mobilidade urbana também podem estar ao alcance de novas soluções em outros segmentos.

E dentro em breve, novidades relacionadas aos nossos sistemas serão apresentadas, reforçando parcerias e abrindo novos caminhos no segmento. A Mobilibus reforça seu compromisso de ir em busca de um transporte cada vez mais conectado, agora em sintonia com o conceito de “mobility as a service”, ou seja, entregar soluções de mobilidade urbana como serviço, que atendam as necessidades de clientes e usuários.

Acessibilidade e informação ao usuário do transporte público

Você já deve ter visto a campanha publicitária de um jovem, deficiente visual, enfrentando as dificuldades de navegar em um aplicativo de relacionamentos. Se não viu, acesse o vídeo da campanha – cujo mote é o de promover acessibilidade digital para todos.

Uma das preocupações desde o início da concepção da nova versão dos aplicativos da Mobilibus e extensivo ao Bus2, nosso novo produto, era o de proporcionar uma experiência amplamente acessível a quem depende do transporte público, com informações básicas – horários, próximas partidas ou instruções de como chegar a um destino – disponíveis para qualquer pessoa, seja ela um portador de necessidades especiais ou não.

A Lei Brasileira de Inclusão (13146/2015) deu o caminho a ser seguido, no seu artigo 74: É garantido à pessoa com deficiência acesso a produtos, recursos, estratégias, práticas, processos, métodos e serviços de tecnologia assistiva que maximizem sua autonomia, mobilidade pessoal e qualidade de vida. Estudando o mercado de aplicativos para o transporte público, notamos que até existiam iniciativas voltadas aos PNEs, mas elas não eram plenamente inclusivas – seja por versões exclusivas para quem é PNE, que nem sempre contemplam todas as informações de um sistema de transporte; seja exigindo a identificação por login para “facilitar” o acesso a estas informações, restringindo-as a quem está previamente cadastrado.

Buscamos a seguinte premissa: qualquer usuário deve ter acesso as informações básicas que precisa para utilizar o transporte público. E quando falamos em qualquer usuário, isso inclui os PNEs, sem distinção. A começar pelas tabelas horárias e previsões nos pontos de parada informando quais horários são acessíveis para cadeirantes. Desde 2015, a frota deveria ser 100% acessível para PNEs no Brasil, mas esta ainda é uma realidade distante, e diversas cidades exigem judicialmente dos operadores publicidade na informação dos horários acessíveis. No Bus2 e nos aplicativos Mobilibus, esta informação está disponível para todos os usuários, e nossa intenção é, futuramente, implementar integrações com fornecedores de sistemas de monitoramento, permitindo ao usuário portador de necessidade especial alertar o motorista e a central de controle operacional, que deseja embarcar em determinado veículo. Hoje, somente sistemas proprietários possuem tal recurso, o que não permite amplo acesso para todos.

Também disponibilizamos um modo simplificado de acesso as informações, ativando-o quando o usuário faz uso do TalkBack ou do VoiceOver, recursos de leitura de tela para deficientes visuais.  Nossa primeira versão de nossos aplicativos já continha tal modo, mas agora o usuário pode, além de consultar os pontos de parada mais próximos e as viagens que atenderão estes pontos em tempo real, as grades horárias de todas as rotas de uma cidade, e também receber instruções detalhadas de como chegar a um destino, a partir de onde o usuário se encontra, somente com um comando de voz. Qualquer usuário tem acesso a estes recursos, sem cadastro prévio ou tendo de baixar outro aplicativo que não aquele utilizado pela maioria. Quem não utiliza TalkBack ou VoiceOver pode acessar tais recursos no menu Mais > Acessibilidade, e assim, pode entender ou demostrar para outra pessoa como funciona este recurso.

São iniciativas em constante aperfeiçoamento, que visam acompanhar a inovação tecnológica, mas também atender ao que a legislação vigente e o bom senso exigem: de que o transporte público seja, de fato, acessível para todos os públicos.


Se você tem interesse em aprofundar seu conhecimento sobre acessibilidade digital, visite o site do Movimento Web Para Todos (WPT) e confira os materiais disponibilizados.

Sinergia entre diferentes fornecedores e órgão gestor resulta em benefícios ao usuário do transporte público – o case SigaBus em Contagem

Neste primeiro semestre, a Mobilibus entregou duas soluções de informação ao usuário, visando atender as demandas da TransCon, autarquia responsável pela gestão do transporte público de Contagem, terceiro município mais populoso de Minas Gerais – 660 mil habitantes segundo estimativa de 2018 do IBGE – e vizinho à capital, Belo Horizonte. Nesse post, vamos apresentar a você como se deu este trabalho, e os primeiros resultados dele.

Divulgação / TransCon

Em parceria com a Auttran, fornecedora do sistema de monitoramento da frota, colocamos à disposição dos usuários o aplicativo SigaBus, disponível nas plataformas Android e iOS.

O desafio maior, segundo Wilson Júnior, gerente de Operações de Transportes da TransCon,  foi atender os anseios da população de Contagem por ferramentas que contemplassem as informações do transporte público. Como um órgão gestor, a preocupação da TransCon era de oferecer o SigaBus como uma ferramenta confiável ao usuário desde seu lançamento, sob o risco do descrédito nos primeiros dias de uso – situação já verificada em outras cidades brasileiras.

Com um trabalho integrado entre as equipes da Mobilibus e da TransCon, foram realizados ajustes no mapeamento das informações de rotas, pontos de paradas, a coleta de informações dos pontos de embarque e desembarque de passageiros, bem como adequações no layout do aplicativo, visando equalizar as necessidades do órgão gestor com o padrão na exibição das informações, sempre tendo como norte as boas práticas no padrão GTFS e a acessibilidade universal.

Acessibilidade para todos

Cristiano Martins

Desde o início de 2018 no mercado, os aplicativos desenvolvidos pela Mobilibus tem como principais características a agilidade na apresentação das informações em tempo real; o tamanho do arquivo – em média 40% menor que outros disponíveis no mesmo segmento; e a customização, personalizando o aplicativo com a identidade visual desejada pela empresa ou órgão gestor.

Além disso, contam com suporte nativo para os recursos TalkBack e VoiceOver, voltados para pessoas com visibilidade reduzida ou nula. Disponível para todos os usuários, dispensam a criação de cadastro prévio ou download de uma versão adicional do aplicativo – basta o aparelho ter habilitado o recurso de acessibilidade, e o usuário tem acesso verbalizado à localização dos pontos de parada nas imediações, e as próximas partidas informadas em tempo real.

A solução foi colocada à prova em reunião realizada com a Associação dos Deficientes de Contagem, e com o Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência, onde foi possível demonstrar os recursos de acessibilidade disponíveis, entender como o deficiente visual interpreta as informações de ferramentas já consolidadas, como o Google Maps, e colher sugestões de melhorias a serem implementadas em versões futuras do SigaBus – e, por consequência, nos demais aplicativos desenvolvidos pela Mobilibus.

Do mobile para o desktop

Luciana Silva / Auttran

Lançado no mês de junho, o aplicativo SigaBus atingiu em dois meses a marca de 14 mil downloads, e segue em constante crescimento. A partir daí, começou o desafio de lançar a versão web do sistema, voltada para os usuários do portal da Prefeitura de Contagem.

Mesmo que a quantidade de usuários de celulares seja hoje muito superior a dos computadores pessoais, um órgão gestor precisa entregar as informações do transporte público ao seu usuário nos canais oficiais, como em seu portal.

Até então, o desenvolvimento das soluções Mobilibus era voltado para a alimentação automática dos sites de empresas, agilizando a atualização de informações de grades horárias e itinerários. Em Campina Grande, na Paraíba, também realizamos este trabalho junto ao órgão gestor, porém de um modo diferente, informando em um mapa a posição de toda a frota de transporte da cidade.

A partir das orientações da TransCon, o desafio foi levar para o desktop a mesma praticidade no acesso às informações em tempo real disponíveis nos aplicativos, um trabalho que exigiu de nosso desenvolvimento dedicação e empenho para que o recurso atendesse as especificações em curto prazo.

Integração e resultados

Divulgação

O SigaBus Web, disponível desde o início de agosto, oferece em um único local todas as informações do transporte público necessárias ao usuário – basta selecionar inicialmente a rota desejada. e a partir dessa escolha o usuário tem acesso a todos os pontos de parada, a localização dos veículos da linha naquele momento, a grade horária prevista, e ainda, ao selecionar determinado ponto de parada, as informações em tempo real de quais veículos estão mais próximos, e quanto tempo falta para suas chegadas.

Porém, o sucesso destas soluções está estreitamente ligada ao sucesso da operação na rua. Treinamentos foram realizados pelas equipes da Auttran e da TransCon junto às operadoras do transporte público, ressaltando a importância do trabalho operacional eficiente, e a consequência positiva deste junto aos usuários.

Tais iniciativas já apresentam seus primeiros resultados: o índice médio de acompanhamento da frota de mais de 320 carros em tempo real, nos primeiros dois meses de monitoramento, supera os 95%. Esta informação precisa é que chega as telas de quem possui o SigaBus instalado em seu smartphone, ou acessa o SigaBus Web no site da Prefeitura de Contagem.

Números que segundo Wilson Júnior, da TransCon, demonstram o êxito da sinergia entre Auttran, Mobilibus e o órgão gestor para atender as suas necessidades, e como consequência, bem informar o usuário do transporte público.

Municípios acima de 50 mil habitantes poderão ser obrigados a disponibilizar aplicativo com informações do transporte público

Divulgação / Prefeitura de Contagem

Está em tramitação na Câmara dos Deputados o projeto de lei 9865/2018, que altera a Política Nacional de Mobilidade Urbana – Lei 12587/2012 – com o objetivo de obrigar municípios com mais de 50 mil habitantes a disponibilizar as informações do transporte público por meio de aplicativos.

A proposta, de autoria do deputado federal Ivan Valente (PSol – SP), tem como principal definição o acesso da população a aplicativos que informem sobre o serviço – as linhas disponíveis, os respectivos horários, a localização dos veículos e o tempo estimado para embarque. O projeto ainda tramitará por três comissões, em caráter conclusivo – ou seja, pode não passar pelo plenário se houver concordância nas demais comissões – e após, poderá seguir ao Senado.

O caminho ainda é longo para que este projeto vire realidade, mas no Brasil alguns municípios já se anteciparam, disponibilizando aplicativos que permitam a consulta das informações do transporte público em tempo real a seus usuários, com tecnologia Mobilibus.

Como a Mobilibus pode fazer a diferença em seu município?

Contagem, cidade localizada na Região Metropolitana de Belo Horizonte (MG), lançou na última segunda, 17 de junho, o SigaBus, o aplicativo do transporte público do município. Através dele, a população tem acesso a todas as linhas gerenciadas pela TransCon (autarquia municipal responsável pela gestão do sistema municipal de transporte público), com a localização dos pontos de parada, previsões de chegada em tempo real, notícias e alertas, entre outros recursos.

O aplicativo SigaBus soma-se ao rol de cidades brasileiras que disponibilizam informação do transporte público a seus usuários, como Blumenau (SC), Uberaba (MG), São Mateus (ES), Caxias do Sul (RS) e Manaus (AM), todas contando com tecnologia Mobilibus. Se sua cidade deseja contar com um aplicativo que seja uma via direta de comunicação com os usuários do transporte público, e que já esteja preparado para atender o que o projeto de lei prevê, entre em contato conosco – temos a solução certa para seu município, independente do porte dele.

Com informações da Agência Câmara Notícias

Você sabia? SEST SENAT oferece diversos cursos na área de transporte, à distância e de graça!

Rafael Facundo ₢ 2018 / SEST SENAT

Com o desemprego em alta e exigências cada vez maiores de conhecimento para o preenchimento de vagas, aperfeiçoar sua qualificação é visto como um diferencial pelo mercado de trabalho. E para quem quer ingressar na área do transporte, ou já atua no segmento, uma dica é a nova plataforma de Ensino à Distância (EAD) do Serviço Social do Transporte (SEST) e Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (SENAT) .

Lançada no último dia 1° de maio, a plataforma oferece mais de 200 cursos online, gratuitos para quem já trabalha no segmento do transporte. E o melhor: promocionalmente, até 31 de maio, todos os cursos serão disponibilizados gratuitamente, inclusive para quem não está inserido no segmento do transporte.

Entre os cursos mais procurados na primeira semana de lançamento da plataforma online estão Administração de Pessoas; Comunicação Interpessoal e Atendimento ao Cliente; 5S no Escritório; Desenvolvimento de Lideranças e; Desbravando o Excel – Passos Iniciais.

Se você deseja ingressar no segmento do transporte, separamos para você dez cursos que abordam a rotina das empresas do segmento. Escolha aqueles que você mais tem interesse em se aperfeiçoar, e boa sorte:

  1. Conhecendo o Código de Trânsito Brasileiro – CTB
  2. Conhecendo o Transporte de Cargas e de Passageiros
  3. Comportamento Humano e Segurança no Trânsito
  4. Empregabilidade e Valorização do Motorista Profissional
  5. Cidadania no Transporte de Passageiros
  6. Excelência Profissional para Motoristas
  7. Administração de Garagens
  8. Como Gerenciar Oficinas Mecânicas
  9. Administração de Terminais Rodoviários
  10. Conhecimentos Básicos de Fiscal de Transporte Urbano

Quer conhecer todos os cursos que a plataforma oferece? Então acesse o site ead.sestsenat.org.br e confira!

Com informações do SEST SENAT

Se você tinha dúvidas ainda: intenção da Uber é concorrer com o transporte público

O site Jalopnik, referência mundial em conteúdo para o automobilismo, publicou na última sexta um artigo de Aaron Gordon abordando a apresentação da Uber em sua IPO (oferta pública inicial de ações, quando a empresa manifesta a intenção de abrir seu capital para novos investidores).

O articulista aponta algo que já era alvo de desconfiança de muitos especialistas no tema, confirmado nos documentos apresentados na IPO: de que a Uber tem sim como alvo o transporte público de massa, sendo este um obstáculo ao crescimento de seu modelo de negócio – que, diga-se, já atingiu a marca de 1 bilhão de dólares em 2018 somente no Brasil, seu segundo maior mercado.

Até então, o posicionamento da Uber para o público é de ser uma alternativa aos gargalos existentes no transporte público, especialmente nos deslocamentos entre o transporte de massa e a residência ou trabalho de seus passageiros, bem como uma opção para que o transporte individual seja menos adotado.

Mas… um trecho do documento apresentado na IPO – documento público que demonstra as intenções da Uber a seus potenciais acionistas – deixa clara a intenção de que as viagens “ridesharing”, como o Uber Pool (no Brasil, denominado Uber Juntos) podem crescer ainda mais, fazendo frente ao transporte público a partir de iniciativas como o Uber BUS (lançado no final de 2018 em Cairo, no Egito) e Uber Express Pool (disponível nos Estados Unidos)

Acesse o artigo original da Jalopnik, em inglês, aqui. E a manifestação da Uber visando a oferta pública de suas ações, aqui, também em inglês.

E o que você, que atua no segmento do transporte público no Brasil, tem a ver com tudo isso?

Uma das táticas massivas adotadas pela Uber para angariar novos clientes é a da publicidade em serviços de roteirização. Nelas, a Uber indica uma estimativa de valor para o planejamento de uma rota entre dois pontos, levando este potencial cliente para seu aplicativo. Diversas grandes cidades brasileiras possuem suas informações do transporte público nestes serviços, como Google Maps e Moovit. Porém, outras várias cidades não estão presentes. A Uber e seu principal concorrente no Brasil, a 99, estão lá.

Marcando presença nestes serviços, sua operação estará ao alcance daqueles que utilizam os aplicativos referência para deslocamentos, permitindo um comparativo de tempo, distância e custos com outros modais – como o veículo próprio. Compartilhando suas informações operacionais nestes serviços, você também estará facilitando o acesso dos seus habituais clientes, e de potenciais novos usuários, a saber que ônibus ele precisa utilizar para ir de um ponto a outro; quanto tempo falta para que este ônibus chegue no ponto mais próximo de sua casa, ou ainda que custo este deslocamento terá.

A própria Uber, recentemente, adotou a estratégia de incorporar em seu aplicativo as informações dos modais de transporte público em determinadas cidades dos Estados Unidos, com o objetivo de mostrar ao usuário de seu aplicativo em que situações o transporte público é mais vantajoso do que o seu modelo de negócio. Nada impede que este mesmo modelo de negócio seja replicado no Brasil, considerando a importância deste em números para a Uber.

Mesmo que a sua escolha seja pelo aplicativo próprio, fidelizado com sua marca, a presença em serviços de roteirização como o Google Maps é vital para que seu negócio esteja ao alcance de seus clientes, sejam eles habituais ou novos em potencial. A Mobilibus tem larga experiência neste segmento. É atualmente a maior integradora de informações do transporte público na América Latina, e vem acompanhando de longa data as melhores tendências em tecnologia de informação ao usuário do transporte público.

Entre em contato conosco, seja você um operador ou um órgão gestor de mobilidade urbana, e solicite uma apresentação de nossas soluções – aplicativos personalizados, integração com outros fornecedores e agilidade na atualização das informações estão entre as vantagens de ter a Mobilibus aliada à sua operação.

GTFS: o que é, e como ele pode ser útil para sua gestão

Quatro letras, e um significado desconhecido ainda para boa parte dos órgãos gestores relacionados com a mobilidade urbana no Brasil. O GTFS, sigla que vem das iniciais de General Transit Feed Specification – em português, Especificação Geral de Feeds de Transporte Público – é a linguagem mais utilizada para a exibição de informações do transporte no mundo.

Elaborada há mais de dez anos em parceria da Google com a agência de trânsito de Portland, a TriMet, os parâmetros do GTFS refletem as informações de localização de pontos de parada, traçados, grades horárias e tarifas, permitindo uma visão completa de qualquer operação, independente do modal – o padrão é compatível com linhas de ônibus, trens, metrôs, teleféricos, barcas, entre outros.

Como você, gestor, utilizará estas informações?

Com estes dados, prefeituras e operadoras possuem em mãos todas as informações necessárias para melhor informar o usuário dos sistemas de transporte – seja através de serviços de roteirização, como o Google Maps; aplicativos como o Moovit, ou; ferramentas próprias disponibilizadas em seu site.

Além disso, ter uma base de dados em GTFS serve como fonte de informações para auxiliar em ajustes nos sistemas de transporte, como racionalização de linhas sobrepostas, integração de modais ou linhas, e ainda, facilitar o processo de elaboração do Plano de Mobilidade Urbana nas questões relacionadas ao transporte público.

Municípios com mais de 20 mil habitantes, por lei, devem possuir um Plano Diretor de Mobilidade Urbana, e três mil municípios no Brasil se enquadram nesta situação. Grande parte destes encontra dificuldades financeiras para manter o básico da administração, o que pode atrapalhar a elaboração do plano.

A aquisição de sistemas de georreferenciamento – essenciais para a criação da base de dados do transporte público, um dos itens exigidos na concepção dos planos diretores de Mobilidade Urbana – pode se tornar onerosa para os cofres públicos, especialmente em cidades menores.

Como a Mobilibus pode te ajudar?

Somos líderes na América Latina em integrar informações do transporte público, atendendo mais de cem cidades no Brasil e no exterior. Nossa ferramenta de criação e manutenção de dados em GTFS é hospedada na nuvem, com fácil acesso em qualquer computador conectado à internet, e o investimento é proporcional ao porte de nosso cliente.

Em nosso sistema é realizado o armazenamento e a manutenção das informações do transporte público, inclusive com possibilidade de importar informações já existentes. Todo o processo é visual – aquilo que você adiciona ao mapa é a informação que será convertida para codificação no padrão GTFS. Depois, basta manter as informações atualizadas, e assim poderá visualizá-las em diversos relatórios ou exportar estes dados no formato que desejar.

Entre em contato conosco e solicite maiores informações sobre como nossa ferramenta de edição de dados na linguagem de informações do transporte público mais utilizada no mundo pode fazer a diferença para o futuro do seu município.